Diocese de Joinville ordena 4 novos Diáconos


*Com informações de Tatiana Sabatke / Pascom.
Imagens: Carolina Oliveira / Pascom

 




A Diocese de Joinville ordenou no domingo, 23 de agosto, quatro novos Diáconos Transitórios: Alexsandro Schneider, Diego Afonso Ribeiro, Jardel Laercio Rech e Paulo Cesar Segalla.



A Missa de ordenação aconteceu na Paróquia Senhor Bom Jesus, bairro Aventureiro, em Joinville. Seguindo as orientações dos órgãos de saúde, a solenidade contou com distanciamento e limitação de público, além do uso de máscara e álcool em gel.


O diaconato transitório é a primeira etapa do sacramento de ordenação. Os quatro novos diáconos devem ser ordenados sacerdotes em dezembro deste ano.


Durante a cerimônia, o bispo da Diocese de Joinville, Dom Francisco Carlos Bach, explicou como devem agir os novos diáconos a partir desta nova etapa de dedicação à Igreja Católica.


“Enquanto servos, assim como Jesus Cristo foi o grande servidor do Pai e fez a vontade de seu Pai, da mesma forma, cabe a cada um deles colocar-se a serviço do Senhor, a serviço da sua Igreja. A missão deles é servir em tríplice contexto: da pregação da palavra, de estar a serviço do altar e da Eucaristia e da caridade”, afirmou o bispo.







Os quatro novos diáconos seguem pelos próximos meses em trabalhos nas comunidades e no seminário onde já atuam. Em dezembro, após a Missa de ordenação, os novos sacerdotes serão encaminhados a várias funções da Diocese de Joinville.


Dom Francisco Carlos Bach destacou que o trabalho dos diáconos deve sempre ser pautado por atitudes de misericórdia, seguindo o exemplo de Jesus Cristo. "A preocupação pelo bem do próximo e de estar a serviço deve norteá-los não apenas nesse tempo de preparo ou espera pelo sacerdócio, como por toda a vida.”, completou o bispo.


Os novos diáconos demonstraram profunda gratidão e o desejo em servir a Deus através da vocação. Alexsandro afirmou estar em paz e acrescentou que " a graça de Deus é sem limites". Já Diego afirmou sentir-se “amado por Deus, pelo povo e pela igreja”.


Jardel destacou que estava realizando um sonho que vinha desde a infância. "É o que eu sempre esperava nesses dez anos de seminário, uma alegria dar o selo da vocação”. Para o diácono Paulo, “o sentimento era de completude diante de tudo o que vivenciou”.





 


Os novos Diáconos



Alexsandro Schneider

Natural de Joinville, tem 31 anos. Aos 14 anos começou a refletir sobre a vocação e pediu orientação ao pároco da Paróquia São Domingo Sávio. Foi orientado a participar das pastorais, trabalhou na catequese, pastoral do dízimo e com os Grupos Bíblicos de Reflexão.

Alexsandro entrou para o seminário diocesano, em Joinville, após dois anos de estágio. foi monge durante sete anos no Mosteiro da Ressurreição, trabalhou como secretário em uma paróquia e retornou ao seminário diocesano.

Adotou para o diaconato o lema "Somos servos inúteis” (Lc 17, 10).




Diego Afonso Ribeiro

Natural de União da Vitória, Paraná, vive em Joinville desde os quatro anos de idade. Tem 30 anos e destaca que não tem dúvidas que a fé é reflexo dos exemplos dos sete irmãos e dos pais, sempre envolvidos com trabalhos na Igreja, em catequese e lideranças na Pastoral da Criança.

Diego estava cursando Engenharia Química e sentiu o chamado para a vida sacerdotal participando das Missas e vendo o padre celebrando.

Tem como lema de ordenação “Vossos servos por causa de Jesus” (2 Cor 4,5).



Jardel Laércio Rech

Natural de Jaraguá do Sul, tem 26 anos e desde criança participava das Missas na Paróquia São Judas Tadeu. Quando tinha 7 anos, em uma das celebrações em companhia da avó, ouviu o padre falar sobre a falta de coroinhas. Dessa maneira iniciou os trabalhos na Igreja.

Jardel até montou uma capelinha nos fundos do terreno da avó, onde brincava de celebrar Missas. Na adolescência teve atuação como músico, em pastorais e auxiliando os celebrantes. Entrou para o seminário em 2010.

Seu lema escolhido para a ordenação é “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5).




Paulo Cesar Segalla

Natural de Joinville e tem 27 anos. Desde criança participava das Missas e gostava de imitar o padre na paróquia São Francisco de Assis, no bairro Espinheiros.

Chegou a pensar em seguir carreira militar, mas desistiu. Durante uma oração do Terço, Paulo relatou ter um encontro pessoal com Deus, sentindo ser chamado a vocação sacerdotal.

Participando de um Grupo Bíblico de Reflexão, Paulo aprofundou as experiências na Igreja. Entrou para o seminário a convite de um sacerdote.

Escolheu como lema de ordenação: “Eu vim para servir” (Mc 10, 45).

 




Postar um comentário

0 Comentários