Parque Ecológico em Balneário Piçarras tem área de uso cedida pela SPU


Área onde será implantado o Parque Ecológico
Foto: Maurício Pereira





A Superintendência de Patrimônio da União em Santa Catarina entregou, em 13 de agosto, o contrato de cessão de uso gratuito da área onde será implantado o Parque Ecológico Urbano em Balneário Piçarras.

A área tem 747.305,75m² e comporta uma das mais preservadas combinações florestais do litoral. Desde 2017 o espaço passou a ser estudado pelo doutor em Biologia Vegetal, Ademir Reis.


A partir deste estudo, foram identificadas espécies com características de florestas antigas, tendo registros de estágio primário. Isso significa um alto grau de conservação das florestas nativas, além de muitas espécies da flora ameaçada de extinção no Estado de Santa Catarina.


Entre as espécies identificadas está a árvore Callophyllum brasiliense, mais conhecida como Olandim. No total, 158 espécies de vegetação encontradas no local foram catalogadas.

Fora esses resquícios de vegetação nativa, a área também possui muitas partes em processo de recuperação. “Estudamos o histórico daquela vegetação. É um ambiente extremamente ameaçado, de floresta ombrófila densa de terras baixas com cerca de noventa anos de recuperação. Temos no local uma pujança fantástica com diversidade de ambientes vegetacionais em função desse histórico de derrubadas, ocupação e abandono”, destaca Ademir Reis.


O processo para a criação do Parque Ecológico Municipal em Balneário Piçarras começou em 2019. Com a cessão do espaço pela SPU, o município tem no máximo 3 anos para implantar o projeto e a cessão tem duração de 20 anos, com possibilidade de prorrogação. O documento foi assinado digitalmente pelo Prefeito Leonel Martins em uma reunião virtual.

“É um legado que estamos deixando para as futuras gerações. São poucas cidades litorâneas que estão tendo a possibilidade que nós temos hoje, de implantar um parque natural municipal. Vamos fazer em nossa cidade um pedacinho importante de conservação ambiental, um local que auxiliará a conscientização referente ao meio ambiente e nos encherá de orgulho”, comemora.


Após a aprovação em consulta pública e agora a cessão de uso, começa agora uma nova etapa para a concretização do Parque Ecológico: a infraestrutura de acesso, que será pela Rua 5591, atrás do Museu Oceanográfico. Há no projeto a possibilidade da construção de uma ponte na Rua 2400, através de parceria público-privada. Assim, o parque também deve se ligar ao trecho de praia certificado pela Bandeira Azul.

Postar um comentário

0 Comentários