Nuphope e IETI apresentam plano de ações para capacitar o setor hoteleiro de Penha



Texto e fotos: Rodrigo Knack
Aqui Comunica / Revista Livre / Jornal Aqui



Empresários do setor hoteleiro de Penha estiveram reunidos no Teatro Acqua do Beto Carrero World para conhecer o plano de ações do Nuphope - Núcleo de Pousadas e Hotéis de Penha, vinculado ao IETI, Instituto de Empreendedorismo, Tecnologia e Inovação.


O evento, 
na noite de 14 de setembro, contou com a participação da diretoria e parceiros do IETI, além de representantes do Beto Carrero World (Penha), Parque Unipraias, FG Big Wheel, Oceanic Aquarium (todos de Balneário Camboriú) e Parque Aquático Cascanéia (Gaspar).


Os participantes conheceram a proposta do IETI, do qual o Nuphope é um dos núcleos, para ajudar os empresários do setor a profissionalizarem a gestão dos negócios nos diversos setores que fazem parte do dia-a-dia da hotelaria; atendimento, precificação, organização, comunicação e serviços aos clientes, entre outros.


Além disso, conheceram os principais atrativos das cidades da região, de forma a estimular a ampliação da permanência dos visitantes na cidade.




Para o presidente do Nuphope, Aurélio Idalgo de Souza
, a própria história do Beto Carrero de empreendedorismo é um estímulo aos empresários a acreditarem em Penha e no turismo. Mas, para que a atividade turística traga o melhor serviço aos visitantes, gere postos de trabalho e também lucratividade ao empresário, é preciso capacitação. 


Com o conceito de Inteligência Empreendedora, o IETI surgiu para colaborar com o crescimento dos negócios, através da organização dos processos e capacitação dos empresários e colaboradores. "Empreender não é para amadores, é para quem quer vencer e sozinho não se chega a lugar nenhum", destacou Jefferson Custódio, presidente do IETI. 


Registrada como OSCIP - Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, o IETI conta em seu quadro com profissionais como contadores, administradores, empresários, professores universitários, entre outros. A entidade vem promovendo, desde a sua criação, uma série de eventos voltados ao setor de turismo: Encontro de Hoteleiros, divulgação de carta aberta em defesa das atividades hoteleiras de forma segura durante a pandemia, reuniões com o Beto Carrero World, Águas de Penha e ações como a limpeza da Avenida Alfredo Brunetti, entre muitas outras. 


O Nuphope surgiu inicialmente como uma proposta de associação, mas foi incorporada ao IETI como núcleo de serviços para poder ter mais representatividade e contar com uma série de oficinas gratuitas, capacitações e serviços, entre eles: legalização de empreendimentos, treinamentos, consultorias, seguros, convênios e parcerias com fornecedores dos principais insumos utilizados nos meios de hospedagem, como lavanderias, itens de café da manhã, internet, limpeza e afins.


Esses e outros pontos foram apresentados em um plano de ações que apontou os potenciais a serem desenvolvidos e os desafios a serem enfrentados para que o turismo cresça de forma sustentável para empresas, funcionários, o município e a região.


Aurélio destacou que o Nuphope nasceu para ajudar a classe hoteleira e convocou a participação firme dos integrantes, pois só com união é possível atingir os objetivos e melhorar o setor. Esta visão foi reforçada pelo vice-presidente do núcleo, Antônio Nascimento e pelo presidente do IETI, Jefferson Custódio, que destacou dois "E" para mudar o país: educação e empreendedorismo. "Somente o conhecimento aplicado transforma pessoas, empresas, organizações e a sociedade em que vivemos", completou. 


Como exemplo de como a busca constante por conhecimento transforma o negócio, a empresária Margarete Sá contou um pouco de sua longa trajetória na hotelaria, que começou com uma pequena pousada alugada de 5 quartos até chegar a um dos mais importantes hotéis da cidade. 


Estimulou os empresários a participarem das oficinas e aplicarem os conhecimentos nos empreendimentos. Para ela, o grupo é uma grande força e defendeu a padronização de processos comuns aos meios de hospedagem, de forma a que o turismo da cidade "fale a mesma língua" e, assim, transmita segurança e confiança aos visitantes.