Fórum Regional de Turismo em Barra Velha: Experiências, tecnologia e valorização das pessoas



Por Rodrigo Knack
Jornalista - Aqui Comunika / Revista Livre


O painel do Fórum Regional de Turismo, realizado em Barra Velha, contou com a mediação do Gestor de Projetos do Sebrae Norte SC, Celso Orlando Pirmann. Ao abrir a programação, Celso ressaltou que é preciso ver o turismo como um negócio capaz de gerar renda e destacou que a maioria dos negócios ligados ao turismo é composto por pequenas empresas. "Por isso o turismo e um forte impulsionador da economia local", completou.


Cigamvali: cicloturismo em ascensão 


O primeiro participante do painel foi o diretor executivo da Cigamvali, Fabiano Spezia. Ele destacou um grande potencial da região por unir atrativos que vão da serra até a praia e o objetivo do consórcio intermunicipal é trabalhar toda a região de forma integrada. Entre as ações, uma vem crescendo de forma expressiva: o cicloturismo.


Fabiano Spezia explicou que a região hoje conta com duas rotas cicloturísticas distintas e complementares, que somam cerca de 500 km de percurso. O Cigamvali vem desde o ano passado implantando as sinalizações e promovendo eventos para a divulgação dos roteiros no meio cicloturístico nacional, além de um calendário voltado a várias modalidades ligadas ao ciclismo ao longo do ano.


Santur: o destino mais completo 


Henrique Maciel, presidente da Santur, falou em seguida sobre o desenvolvimento do turismo em sc. Para Henrique, a geografia da cidade tem grandes potenciais e citou como um exemplo a lagoa como um diferencial que pode ser desenvolvido turisticamente. 



Maciel afirmou que a Santur busca fazer de Santa Catarina o destino mais completo do Brasil. Lembrou que o turismo catarinense não é só litoral e que vê potencial em várias cidades e regiões,  porém, é preciso investimentos na infraestrutura. Afirmou que os municípios receberam mais de 50 milhões em projetos entregues pela santur nos últimos anos.


Destacou que os planos municipais de turismo são fundamentais para o desenvolvimento das cidades e considerou uma satisfação poder fazer a entrega dos documentos.


Sebrae: tecnologia e pessoas


Ana Clévia Guerreiro, Coordenadora de Projeto do Sebrae Nacional, falou sobre destinos turísticos inteligentes e tendências em turismo. A implantação dos Destinos Turísticos Inteligentes vem sendo feita pelo Sebrae desde 2016 e mais recente também pelo Ministério do Turismo. 


Para Ana, é fundamental aumentar a participação do empresariado, incluir as comunidades e descobrir em cada região quais os potenciais naturais e culturais podem se destacar como um produto turístico. Destacou que Barra Velha está perto de grandes centros emissores como Curitiba e São Paulo, em localização privilegiada. 


A representante do Sebrae ressaltou, ainda, que é preciso saber estar na tecnologia: um bom site, redes sociais que funcionem e saibam comunicar com os clientes e, claro, vender o que é real. Porém, o turismo precisa e muito de pessoas, pois não existe um sem o outro.


Ministério do Turismo: parcerias com iniciativa privada


A diretora do Departamento de Inteligência Mercadológica e Competitiva do Ministério do Turismo, Nicole Ferreira Facuri, apresentou uma lista extensa de projetos que estão previstos ou em andamento pela pasta. Porém, os recursos são muito abaixo do necessário e, por isso, considera fundamental contar com a iniciativa privada nas famosas PPP's.


Nicole acredita que as parcerias público-privadas podem fazer as coisas acontecerem e que é preciso mudar a cultura de depender tudo do governo. Citou, por exemplo, as concessões a iniciativa privada de parques nacionais que vem recentemente sendo implantadas no país.


Fundamental para um profissional do turismo é conhecer e vivenciar, pois é o que o turista busca. E, para aprofundar as experiências dos turistas na brasilidade da nossa gente, Nicole enumerou alguns dos projetos, que envolvem as cidades criativas, gastronomia, ecoturismo, praias, comunidades, inclusão e tecnologia, de forma a permitir aos visitantes viver o Brasil, não apenas visitar. Principais desafios: os recursos, os levantamentos de dados e integração deles para acesso por todos.


Unanimidade


O principal entendimento entre todos os participantes do painel se apresentou ao longo das apresentações e nos debates com participantes: turismo é um negócio capaz de desenvolver o país, mas é preciso profissionalizar, capacitar, usar a tecnologia, envolver as comunidades e trabalhar conjuntamente entre iniciativa privada e poder público.
Postagem Anterior Próxima Postagem